Formas contemporâneas da subsunção do trabalho ao capital

Convidado para fazer uma apresentação sintética das conexões entre “dívida pública” a “subsunção do trabalho ao capital” na cena contemporânea, o autor desse blog preparou uma exposição sobre o tema por meio de uma apresentação em “powerpoint”. Como a exposição não pode ocorrer por falha deste blogueiro impenitente, ele publica aqui o original preparado para os eventuais interessados.

O material se encontra aqui: Formas contemporâneas da subsunção do trabalho ao capital

Três ondas da globalização

Aquilo que é atualmente chamado de globalização vem de longe na história da era moderna. Trata-se de um processo complexo cuja descrição exige um escrito de centenas de páginas. Entretanto, é possível apresentar o seu desenvolvimento no último século e meio por meio de um indicador da evolução do comércio internacional em nível mundial.

Neste post, parte-se dessa estatística descritiva para caracterizar as últimas três ondas da globalização, as quais ocorreram, grosso modo, a partir de meados do século XIX. E se considera que elas refletem o desenvolvimento do próprio capitalismo enquanto um modo de produção que tende inexoravelmente à mundialização.

Então, à explicação pós-keynesiana de Thomas Palley para esse movimento histórico secular do capitalismo opõe-se uma explanação baseada em Karl Marx. Enquanto o primeiro autor se centra na qualidade da política econômica, o esclarecimento alternativo do padrão observado de evolução histórica se baseia num argumento estrutural que diz respeito à própria expansão da relação de capital no plano internacional, isto é, do imperialismo.

O post do blog Economia e Complexidade se encontra aqui: Três ondas da globalização – uma explicação estrutural

E o artigo de Thomas Palley pode ser encontrado aqui: Three globalization, not two…