Pular para o conteúdo

Macroideologia econômica

19/08/2019

Neste post apresenta-se um comentário crítico de um pequeno texto de Simon Wren-Lewis, professor de Macroeconomia e Metodologia da Economia da Universidade de Oxford, Inglaterra: “Erros e ideologia em Macroeconomia” que foi publicado em 8 de janeiro de 2012 em seu blog na internet (Mainly Macro).

When-Lewis pensa os eventos macroeconômico da perspectiva da novo-keynesiana e, por isso, diverge  daqueles economistas que os analisam da ótica novo-clássica. Em seu post ele faz uma crítica à Robert Lucas e à John Cochrane, ambos da Universidade de Chicago, EUA. Esses dois autores, segundo ele, cometem um erro elementar quando pensam que o gasto público não tem o poder de elevar a renda nacional porque aquele montante que o governo gasta a mais é compensado por uma redução do gasto do setor privado.

O economista inglês, então, se pergunta: por que autores tão competentes em Economics cometem tal barbaridade. Primeiro, ele considera a hipótese de que eles não estejam bem esclarecidos sobre os resultados da teoria novo-keynesiana. No entanto, faz essa suposição apenas para descartá-la, sugerindo então que o problema se encontra na ideologia que professam. Como aqueles dois autores não apreciam a intervenção do Estado na regulação macroeconômica, eles se tornam ideólogos do mercado perfeito e, por isso, cometem tal erro elementar em teoria econômica. Mas qual seria o problema da teoria novo-keynesiana?

O texto se encontra aqui: Macroeconomia e ideologia

Comentários encerrados.